quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Dia 20 de Janeiro - Dia de São Sebastião



Quermesse em Louvor ao Padroeiro São Sebastião
Todo ano em torno do dia 20 de Janeiro, dia de São Sebastião, santo padroeiro da cidade, a paróquia de Guaraci realiza uma acalorada festa em louvor ao santo. Aliás, esta é uma data católica tradicional, que é comemorada em muitas cidades brasileiras. São Sebastião é um santo muito querido. Em Guaraci, a tradicional Quermesse em Louvor a São Sebastião, começou nos dias 15, 16 e 17 deste mês de Janeiro, e continua acontecendo no toldo da praça de eventos da Igreja Matriz. Nesta quarta-feira, 20/01, em comemoração ao dia do santo, excepcionalmente, também haverá quermesse. Os festejos continuam nos próximos dois finais de semana, 22, 23, 24 e, 29, 30, e 31 (último dia). O feriado municipal deste dia 20, foi transferido para a sexta-feira, dia 22/01.

A Quermesse
Num clima de generosidade, você participa de um tradicional e animado leilão e pode arrematar apetitosas prendas de frango assado, frango recheado, bolos, rocamboles, leitoas assadas, entre outras. Além disso, você pode encontrar no balcão ou junto aos atendentes da quermesse, kafta assada, pastéis fritos na hora e bebidas geladas.

O martírio de São Sebastião
São Sebastião (256 — 286) originário de Narbonne e cidadão de Milão, foi um mártir e santo cristão. Ele foi um dos primeiros mártires cristãos, “Martir” deriva da palavra grega que significa “testemunha”. De acordo com Actos apócrifos, atribuídos a Santo Ambrósio de Milão, Sebastião era um soldado que teria se alistado no exército romano por volta de 283 (depois da Era Comum) com a única intenção de afirmar o coração dos cristãos, enfraquecido diante das torturas e perseguições. Em fins do século III, por volta do ano de 286, ele foi nomeado comandante de uma companhia da guarda pretoriana, a tropa de elite dos imperadores romanos. Quando sua conversão ao cristianismo se tornou conhecida, o imperador Diocleciano, que duvidava da possibilidade de um homem servir ao mesmo tempo a Cristo e a Cesar, exigiu que Sebastião renunciasse à sua fé ou enfrentasse um pelotão de arqueiros. Sebastião permaneceu fiel à sua religião e, por conseguinte, foi amarrado, transpassado de setas e abandonado para morrer. Milagrosamente, ele sobreviveu. Quando se recuperou, Sebastião tornou a abordar o imperador, rogando-lhe tolerância para os cristãos. Desta vez, Diocleciano não quiz colocar suas palavras em risco, ordenando que Sebastião fosse ali mesmo espancado até a morte.
Fontes:
Wikipedia;História da arte da Universidade de Cambridge.

Imagens de São Sebastião
São Sebastião é usualmente mostrado amarrado a um pilar ou a uma árvore, e sempre, transpassado de setas (que se tornaram símbolo constante na sua iconografia).
As primeiras representações mostravam o corpo do santo inteiramente perfurado por flechas, parecido com porco espinho, contudo no período do renascimento, esse número de setas foi reduzido para que a ênfase fosse dada à postura do corpo.
Veja acima a pintura de Andrea Mantegna (italiano; 1453-1506; tela 68x30 cm; Museu de Viena) mostrando o corpo de São Sebastião com uma aparência de equilíbrio vital, sugerindo que ele sobreviveu às setas que lhe foram disparadas. Ao fundo, o pintor parece mostrar o estado de decadência das relíquias do paganismo e o triunfo final do cristianismo.

Fontes:
Wikipedia; Imagens religiosas - História da arte da Universidade de Cambridge.

Nenhum comentário:

Postar um comentário