sábado, 22 de janeiro de 2011

Guaracienses *De Descendência Italiana

Nossa gente, nossa cultura.


Imigrantes italianos
Na segunda metade do século XIX, o café tornou-se o principal produto de exportação brasileiro. Os fazendeiros obtiveram altos lucros com o café que era chamado de “ouro negro”. Neste período, muitos imigrantes europeus, principalmente italianos, chegaram para aumentar a mão-de-obra nos cafezais de São Paulo. Por atrair milhares de imigrantes, durante esse período, nosso estado é aquele que concentra a população mais diversificada do país.

A imigração italiana no Brasil foi intensa principalmente entre os anos de 1880 e 1930. Estima-se que neste período, mais de 1 milhão e meio de italianos emigraram para o Brasil, sendo que a maior parte deles se concentrou no do Estado de São Paulo. Segundo o IBGE, existe hoje no Brasil mais de 25 milhões de descendentes italianos.

Os imigrantes que chegavam da Itália pelo porto de Santos se comprometiam com o café e se destinavam ao interior do Estado de São Paulo. Nesse tempo o estado já despontava como maior produtor de café do Brasil e os imigrantes, principalmente os italianos, representam grande parte da força humana que serviu de alavanca para colocar o Estado de São Paulo, desde o ciclo do café, que interiorizou as estradas de ferro, ao início da industrialização, como o primeiro e mais importante estado brasileiro.

A singularidade desse período está na forma intensa com que tudo se multiplica, desde a imigração, que no campo sustenta a cafeicultura, até o desenvolvimento das cidades, que levaram São Paulo a perder suas feições de província e tornar-se a economia mais dinâmica do país.

Imigrantes na História de Guaraci
O início da história de Guaraci e região ocorrem durante o ciclo do café, que se mistura aos interesses do desenvolvimento da pecuária no estado, impulsionados pelos bons preços desses produtos na época. A importância das exportações de café fez com que introduzissem uma importante malha de estradas de ferro no interior de São Paulo. Por outro lado, em 1909 foi inaugurada a linha-troco de Barretos, e em 1914, chegava a ‘Estrada de Ferro São Paulo-Goiaz’ em Olímpia (Villa Olímpia). Ferrovias que transportavam os produtos, café e gado, as primeiras riquezas da região. O frigorífico de Barretos, inaugurado em 1910, exerceu forte influência na formação das então, "Vilas" em seu entorno.

Como acontece em quase todo o interior do estado de São Paulo, posso estimar pela lista de sobrenomes que analisei que mais 20% da população guaraciense é formada por descendentes de imigrantes italianos. Embora os resultados sejam empíricos, em razão da especificidade da amostra, uma lista de telefones fixos, ainda assim, acredito que os dados servem como indicadores da diversidade de nosso povo. É preciso lembrar que há uma parcela importante de descendentes espanhóis, árabes, japoneses, franceses, ingleses, húngaros, tchecos, e outros, que também contribuíram e continuam contribuindo, com o progresso de nossa cidade. Mas, a maior parte de nossa população, é composta por descendentes de portugueses e mestiços, erradicados há muito tempo no Brasil, vindos principalmente dos municípios vizinhos, incluindo aqueles do estado de Minas Gerais, que migraram interessados principalmente na pecuária e na agricultura de pequeno porte.

Imigração do norte da Itália para o Brasil
O estereótipo que entrou na memória coletiva, nos diz como muitos dos cidadãos italianos emigraram principalmente da região do ‘Veneto’. Com uma mala de papelão contendo uma série de coisas de pequeno valor, mas com um coração cheio de esperança e a mente cheia de sonhos, cruzaram os mares, à procura de melhor sorte, porque a fortuna não poderia ser favorável em sua terra natal. Entretanto, deve-se acrescentar que os emigrantes, muitos dos quais começou a aventura sabendo pouco ou nada sobre os destinos, trouxeram consigo sua cultura e a herança de valores e caráter moral e as distribuiram nos países em que se instalaram.

O que se propõe aqui, é trazer conhecimento histórico para as gerações atuais, na esperança de poder ajudá-los a compreender um pouco mais nossa história.

A Itália na Europa

Mapa da Itália no Continente Europeu

A Itália, oficialmente República Italiana (em italiano: Repubblica Italiana), é um país situado na Europa meridional, e em duas ilhas no mar Mediterrâneo, Sicília e Sardenha. A Itália divide suas fronteiras alpinas no norte com a França, Suíça, Áustria e Eslovênia.
A Itália ocupa uma área (301.302 km²), um pouco maior que o Estado de São Paulo (248.209 km²).
Capital: Roma
População: 59,9 milhões (estimativa 2009)
Moeda: Euro
Localização: Sul da Europa.
Fuso horário: +4h em relação à Brasília.
Clima da Itália: mediterrâneo (sul), temperado oceânico (norte).
A Itália se divide em 20 regiões autônomas, com independência política, jurídica, legislativa e administrativa. Essas 20 regiões, por sua vez, são formadas por municípios (comuni), num total 8.100 (2009).



Mapa das regiões Norte, Centro e Sul da Itália e seus Estados (Reggiones)

As Regiões (Reggiones, são como os nossos estados) italianas são 20:
8 no Norte

Na parte norte se concentram Vale d’Aosta, Piemonte, Lombardia, Trentino-Alto Adige, Friuli-Veneza Giulia, Vêneto, Ligúria e Emília-Romanha. A região norte é a mais populosa, a mais industrializada e a mais rica da Itália, com cidades importantes como Milão, capital da Lombardia, Veneza, Gênova, Bolonha e Turim, capital do Piemonte, região em que se localizam os Alpes ocidentais e seus grandes maciços. Da Região de Veneto saíram a maior parte dos emigrantes.

5 no Centro

No centro estão Toscana, Marche, Úmbria, Lácio e Abruzzos. A Toscana é uma das regiões mais procuradas pelos turistas, especialmente a capital, Florença, repleta de obras de arte de valor inestimável, fruto de uma civilização que remonta a mais de dez séculos antes de Cristo. As demais regiões, especialmente Úmbria e Marche, também são ricas em história e cultura, e no Lácio se destaca Roma, a capital do país.

5 no Sul

Ao sul estão Molise, Campanha (onde se destaca a cidade de Nápoles), Puglia e Basilicata. Na ponta da “bota” fica a Calábria, como uma península entre os mares Jônico e Tirreno, repleta de tradição, folclore e relatos de invasões. O salto da “bota” é formado pela Puglia, que conserva traços culturais dos invasores bizantinos, longobardos, normandos e romanos.

2 nas Ilhas

Duas grandes ilhas, a Sardenha e a Sicília, ao sul, completam as 20 regiões. Separada do continente pelo estreito de Messina, a Sicília é quase toda montanhosa, exceto a planície em torno de Catânia. Aqui se localiza o vulcão Etna. A capital é Palermo, muito procurada pelos turistas, que visitam também cidades de grande beleza natural, como Taormina e Cefalù. A segunda grande ilha italiana, a Sardenha, viveu longo período de isolamento, o que resultou em uma cultura própria, orientada pela tradição. A capital é Cagliari.




Mapa das Regiões
Principais cidades da Itália: Roma, Milão (a mais desenvolvida), Nápoles, Turim, Palermo, Gênova, Veneza, Florença, Verona, Bolonha, Cagliari, Bari, Parma, Módena.

Religião: cristianismo 83,2% (católicos), sem filiação e outras 16,8%.

Densidade demográfica: 199 hab./km2.

As maiores regiões metropolitanas da Itália são:

Grande Milão - 7,4 milhões de pessoas

Grande Roma - 3,8 milhões de pessoas

Grande Nápoles - 3,1 milhões de pessoas

Grande Turim - 2,4 milhões de pessoas
Crescimento demográfico: 0% ao ano (1995-2000).

Taxa de analfabetismo: 1,5% (censo de 2000).

Renda per capita: US$ 38.900 (estimativa 2008).

IDH: 0,854 (pnud 2010) - desenvolvimento humano muito alto.

Fontes e Links - Saiba mais:
http://www.imigrantesitalianos.com.br/

http://www.portalitalia.com.br/

http://pt.wikipedia.org/wiki/It%C3%A1lia

http://www.suapesquisa.com/paises/italia/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_It%C3%A1lia


Onde encontrar seu sobrenome na Itália? Você pode começar pelo site:

http://gens.labo.net/it/cognomi/

Basta digitar o sobrenome no campo à esquerda (“cognome”)

Obs.: Tente todas as grafias possíveis nos sobrenomes.

Cognome non trovato = sobrenome não encontrado.

Descendentes de Italianos em Guaraci


A lista abaixo apresenta 140 sobrenomes guaracienses de origem italiana, pesquisados no site GENS, que informa onde se encontram estes sobrenomes na Itália de hoje. Contém o sobrenome, seguido do número de cidades onde se acham esses sobrenomes, e em quais regiões (estados) estão estas cidades.


Obs.: Com certeza, existem muitos outros sobrenomes italianos em Guaraci, que não estão listados aqui. Peço ‘scusa’ aos ausentes porque somente foi possível listar aqui, aqueles que constam do catálogo de telefones (2009). Caso algum guaraciense ítalo-descendente queira acrescentar seu sobrenome para que possamos completar esta lista, basta me enviar um e-mail. O endereço é: oscarmauad@gmail.com

A lista segue a seguinte ordem:

*Sobrenome

*– número de cidades (comuni) onde se encontra hoje este sobrenome

*– e a Reggione (Regiões, Estados); Princ. = Principalmente


Agazio – em 10 Comuni – espalhadas por toda Itália

Albino – em 151 comuni - Princ. Campania

Aléssio – em 488 comuni – Princ. Piemonte

Baldan - em 251 comuni – Princ. Veneto

Balzi - em 127 comuni - Princ. Lombardia

Bardella – em 259 comuni – Princ. Lombardia

Barufaldi – em 10 comuni - Princ. Veneto e Piemonte

Bassetto – em 178 comuni – Princ. Veneto

Basso – em 1259 comuni – Princ. Lombardia e Veneto

Belefrate não encontrado, mas Fratte – em 13 comuni - Região de Fiuzi

Benevidis não, mas - Bene – em 77 comuni – Princ. Puglia

Biagi – em 463 comuni – Centro

Biazotto (não), mas Bia – em 81 comuni e Zotto – em 35 comuni – todos; Princ. Norte

Bonácio não, mas - Bonassi – 176 comuni – Princ. Lombardia

Bone – 6 comuni – Princ. Friuli

Boni - 956 comuni – por toda a Itália

Borchi - 61 comuni – Princ. Toscana

Botter - 147 comuni - Princ. Veneto

Bottos - 56 comuni – Princ. Veneto

Campanha não, mas Campana – em 923 comuni - em toda Itália

Candini – em 88 comuni – Princ. Emilia Romagna

Carminatti não, mas Carminati – em 545 comuni – Princ. Lombardia

Carnio – em 109 comuni – Princ. no Norte

Carrasco – em 10 comuni – espalhadas por todo o país.

Carrioni – não, mas Carrione – em 9 comuni – espalhadas por todo país.

Caseli – em 2 comuni – na Emilia e em Lazio

Caverzan – em 27 comuni – Princ. Veneto

Cescon – em 117 comuni – Princ. Veneto

Crispim não; Crispin não, mas Crespin – em 9 comuni – Princ. Lombardia

Cuzinato não, mas Cusinato - em 124 comuni – Princ. Veneto

Dalmazo não, mas Dalmaso - em 24 comuni – Princ. Trentino

De angeli – em 312 com. – toda a Itália; Princ. Lombardia

De Marchi – em 777 comuni – Princ. Veneto

De Thomasi – em 1 comuni - Em Abruzzo

Deboni - em 8 comuni – Princ. Veneto (veja também Boni)

Dorigo - em 267 comuni – Princ. Veneto, Friuli, Lombarbia e Piemonte

Esquiapati não, veja Schiapatti

Farina – em 1828 comuni – por toda a Itália

Federici – em 800 comuni – Princ. Norte e Centro

Felix – em 22 comuni – Princ. Lombardia

Ferraccini – em 5 comuni – Princ. Sicília

Ferrante - em 1244 – por toda Itália

Ferrari – em 3245 comuni – Princ. Norte

Finottelo – em 131 comuni- Princ. Norte

Fioreze – em 121 comuni – Princ. Veneto

Fiorin – em 224 comuni – Princ. Veneto

Foresto – em 102 comuni – Princ – Piemonte e Veneto

Forlin – em 123 comuni – Princ. Veneto

Fornagieri não, mas – Gieri - em 35 comuni – Emilia Romagna

Fossalussa não, mas Fossa – em 173 – em todo país; Princ. na Ligúria e Lussa – em 4 comuni - Norte

Fuzinatto não, mas Fuzinato – em 48 comuni - Princ. Veneto

Galati – em 608 comuni – por todo o país

Galbiatti não, mas Galbiati – em 544 comuni – Princ. Lombardia

Gallete – não, mas Galeti – em 4 comuni – Princ. Lazio

Gasparete – não, mas Gasparetti – em 101 comuni – por todo o país

Gazonni – não, mas Gazzoni – em 98 comuni – Princ. na Emilia Romagna

Geraldeli e Geraldelli não, mas Ghiraldelli – em 35 comuni – Princ. Veneto

Giachetto – em 38 comuni - Princ. Norte

Girardi – em 1068 comuni – Princ. Veneto, Trentino, Lombardia e Piemonte

Gobi não, mas Gobbi – em 824 comuni – Princ. Norte

Golfetto – em 118 comuni – Princ. Veneto

Gotardo – em 3 comuni e Gottardo – em 271 comuni; ambos, Princ. Veneto

Landi – em 936 comuni – Princ. Toscana

Lessi – em 98 comuni – Princ. Toscana

Locatelli – em 1054 comuni – Princ. Lombardia

Luciano - em 620 comuni - In tutta Italia - Princ. Campania, Lombardia e Piemonte

Luppino – em 225 comuni – por todo o país

Magri – em 766 comuni – Princ. Lombardia e Emilia

Mancini – em 2033 comuni – por todo o país

Marchesi – em 1017 comuni – Princ. Lombardia

Marchi – em 1256 comuni - por todo centro e norte

Marconatto não, mas Marconato – em 160 comuni – Princ. Veneto

Mardegan – em 94 comuni – Princ. Veneto

Marqui – aportuguesamento de marchi – veja Marchi

Masson – em 19 comuni – Princ. no centro e norte

Mazuquini não, mas Mazzocchini – em 26 comuni – Princ. Marche

Messe – em 14 comuni – Espalhada pelo país

Michelli – em 872 comuni – Princ. Centro e Norte

Morazzi – em 10 comuni – Princ. Veneto

Munari – em 413 comuni – Princ. Veneto

Nardi – em 1115 comuni – Princ. Centro e Norte

Nardin – em 279 comuni – Princ. Veneto

Orlandini – em 568 comuni – Princ. Emilia e Toscana

Palmieri – em 1523 comuni – Princ. Campania

Pazine não, mas Pasini – em 886 comuni – Princ. Lombardia e Emilia

Pelegrini – em 3 comuni - na Lombardia e em Friuli

Peluso – em 624 comuni – Princ. Campania

Perossi – em 7 comuni – Princ. Lombardia

Petrochi não, achei Petrossi – em 33 comuni – Princ. Campania

Pierre – em 18 comuni – espalhadas por todo país

Pierri - em 248 comuni – Princ. Campania

Pilotto - em 295 comuni - Princ. Veneto, Lombardia e Peimonte

Pivelo não, mas Pivello - em 17 comuni – Princ. LombardiaPrete – em 445 comuni – Princ. Puglia

Preti – em 426 comuni – Princ. Piemonte, Lombardia e Emilia Romagna

Previdelli – em 4 comuni – Princ. Piemonte

Puglieri – em 2 comuni – em Puglia e Calábria

Quinquiolo não, mas Chinchiolo – em 1 comuni – Veneto

Recco – em 30 comuni – Princ. Lazio

Roldão – em 2 comuni – em Lazio e na Liguria

Rossi – em 4541 comuni - em toda a Itália

Sachinni não, mas Sechini – em 10 comuni – Lazio, Molize e Abruzzo

Sagliari não, mas Saliari – em 1 comuni – em Fiuri

Santini – em 1234 comuni – Princ. centro e norte

Sartoreli não, mas Sartorelli – em 158 comuni – Princ. Lombardia

Sasso - em 743 comuni - em toda a Itália

Esquiapati não; Schiapati não, mas – Schiapatti – 1 comuni - Na Lombardia

Senna – em 93 comuni – Princ. na Lombardia

Seragini – em 2 comuni – Princ. na Toscana

Silvestre – em 161 comuni espalhadas – Princ. Campania

Soncin – em 256 comuni – Princ. Piemonte e Veneto

Spinelli – em 1342 comuni – toda; Princ. Lombardia

Spínola – em 127 comuni – Princ. Lombardia

Spolaor – em 56 comuni – Princ. Veneto

Suppino não, mas Supino – em 124 comuni – Princ. Campania

Thomazi – não, mas De Thomasi – 1 comuni - em Abruzzo

Tocalino não, mas Toccalino- em 16 comuni – Princ. Piemonte

Toder – em 3 comuni – Em Friuli e Piemonte

Tomaselli – em 553 comuni – por todo país

Tonelli – em 820 comuni – espalhadas por todo centro norte

Tonin – em 322 comuni – Princ. Veneto

Travaine não, mas Travaini – em 165 comuni – Princ. Lombardia e Piemonte

Ventura – em 1346 comumi – em toda a Itália – Princ. Lombardia

Venturin – em 137 comuni - Princ. Veneto

Vicentini – em 442 comuni – em todo norte; Princ. Lombardia

Vilela não, mas Villela – 1 comuni – Na Calabria

Zambon – em 530 comuni – Princ. Veneto e Trentino

Zanin – em 665 comuni - Princ. Veneto

Zaniratto não, mas Zanirato – em 189 comuni – Princ. Veneto

Zatta – em 154 comuni – Princ. Veneto

Zelli – em 58 comuni – Princ. Lazio

Zugolaro – em 7 comuni – Princ. Veneto

Zulato – em 49 comuni - Princ. Veneto
 

Uma representante dos descendentes italianos de Guaraci. Dona Clementina Zambon Gotardo, esposa do Sr. Ico Gotardo.
Filha dos descendentes Hermínia Toder e Luiz Zambon e neta dos imigrantes, Domingos Toder e Maria Coçar, que aportaram em Santos em 12 de Novembro de 1911, vindos da Região de Veneto na Itália.

Postagem sugerida pelo guaraciense Carlos Eduardo Ramalho

Mas, nada do que passou foi em vão!
Vídeo: Merica, Merica. Fotos de pessoas que suaram e sofreram para nos dar algo mais.
Postado no youtube por: “rcfiocco76”- Brasileiro, disse:
A música La Merica retrata os sonhos e a esperança dos emigrantes italianos que embarcaram rumo às Américas , num período conhecido com a grande imigração no final do século XIX. Neste filme apresento uma coleção de imagens da vida sofrida dos italianos neste período, juntamente com música, letra e tradução de La Merica (Merica Merica) em português.



Se você gostou desta postagem e é integrante do Facebook, clique sobre seu ícone  [f] nos marcadores abaixo - Obrigado.

Se você gostou, comente, há bastante espaço pra isso, críticas e elogios sempre serão bem aceitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário